Quarta-feira, 19 de Agosto de 2009

Cool Hand Luke

Cool Hand Luke é um polidáctilo e foi uma das recentes "aquisições" do local onde trabalho, para quem não sabe, a VIVA.  E não, a VIVA não mudou de ramo e nem se dedicou agora a acolher criaturas estranhas!! O Luke é efectivamente um gato, só que possuí a particularidade de ter 6 dedos nas patas dianteiras, em vez dos 5 dedos que são habituais na espécie. Não se sabe bem porque tal sucede, mas o facto é que esta é uma mutação que acontece com relativa frequência na população felina do continente americano. Na Europa (à excepcao do Sudoeste da Inglaterra), embora exista é mais rara, pois no tempo da Inquisição, a maior parte dos felinos possuidores desta característica, foram exterminados por se acreditar que eram criaturas com poderes demoníacos. A título de curiosidade resta ainda acrescentar que estes patuscos bichanos são também conhecidos como os "gatos de Hemimgway" pois conta-se que ao escritor do mesmo nome foi oferecido um polidáctilo, dando esse gato origem, na ilha de Key West onde vivia o Prémio Nobel da Literatura, a uma população de gatos com essa característica, dos quais a descendência ainda hoje deambula pelos jardins da casa/museu.

Mas voltando ao Luke... Chegou à VIVA magro, assustado e de pêlo baço. Foi trazido de uma colónia de gatos ditos selvagens, e em princípio vinha só para ser castrado e depois libertado de volta ao lugar a que pertencia. Mas quis o destino que fizesse uma reacção alérgica à anestesia e que tivesse de permanecer uns dias na enfermaria da referida associação, onde cedo se veio a descobrir que no final das contas Cool Hand era dono de uma personalidade dócil, cativante e muito engraçada!!... Decidiu-se então que passaria a fazer parte dos residentes do gatil. 

Durante 2 meses tratei dele com todo o cuidado e carinho. Brinquei com ele, dei-lhe colo e mimo, ensinei-o a confiar nas pessoas... Sei qual a comida que gosta, o seu brinquedo preferido, o tapete ao sol que escolhe para dormir a sesta.  Modéstia à parte e sem querer tirar o mérito aos demais, em (grande) parte graças a mim, o Luke de hoje, nada tem a ver com o o frágil e indefeso gatinho de algum tempo atrás. Está forte, saudável, bonito, de pelagem brilhante... E é feliz, brincalhão, meigo e vivaz ao mesmo tempo. 

Nesta profissão (missão) a que me dedico,  posso dizer que gosto de todos os gatos por igual e a todos eles tento dar o melhor de mim ao tratá-los o melhor que sei e  posso, mas mentiria se não admitisse que Cool Hand ganhou um lugar especial no meu coração e na minha vida... Imaginei-o meu, na minha casa a viver comigo o resto da sua vida. Mas a verdade é que infelizmente as circunstâncias actuais da minha vida não me permitem ter mais um gato, assim como é verdade também, devo dizer, que me foi dada pelos dirigentes da VIVA, a opção de o "apalavrar", o que faria com que ele, por um determinado período de tempo, não fosse adoptável por outro alguém que não eu. Mas achei que não seria justo e que era um egoísmo da minha parte deixar arrastar uma situação que não teria a certeza de quando, e se sequer, se viria a concretizar num futuro mais ou menos breve, privando assim o Luke de ter uma casa e um dono que a ele se dedicasse, e lhe desse uma boa vida, a vida que ele merecia. Por assim dizer pensei no melhor para ele, pois acredito e defendo que é o que devemos fazer nestes casos. Embora me custasse, todos os dias quando saía do gatil, eu me despedia dele desejando-lhe sorte, pois não sabia se no outro dia ainda lá estaria. No meu coração e na minha mente, e porque sabia que o Luke era especial, tinha a consciência que um dia em breve alguém nele repararia e por ele, tal como eu, se apaixonaria. Esse dia foi hoje.

Jo

 

(foto da Jo)

Have a sweet life (my sweet cat) Cool Hand Luke!

 

Hoje sinto-me: (egoistamente) Triste
Catálogo de vôos: , ,
Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

Os meus "anjinhos" - Parte I

 

Palavras para quê?... As fotos falam por si. Por detrás de cada um destes olhares há uma história que 99.9% das vezes se adivinha ser trágica e triste... Muitos destes animais não conhecem outra casa que não a VIVA... Muitos nunca tiveram um dono ou um colo onde dormir. Outros já o tiveram um dia, mas por esta ou aquela razão ou por força do destino, hoje já não têm, deixaram de o ter.

Mas por detrás de cada um destes olhares há também amor incondicional e infinito, há apesar de tudo ainda confiança... E há a esperança, nossa e deles, que um dia alguém vai aparecer, e os há-de levar para uma vida melhor, para lhes dar esse tal colo que todos desejamos ter, para aquele lar que todos temos o direito de chamar nosso... Até que chegue esse dia, nós, os trabalhadores e voluntários da VIVA, cuidamos deles... E eles,  à sua maneira e de muitas formas, cuidam de nós (também)!

Jo

 

Nota de Roda: Estas são fotos do meu local trabalho, a associação VIVA - Volunteers for Inter-Valley Animals - uma associação no kill e cadge free, com sede em Lompoc, Califórnia, que se dedica à recolha e reabilitação de animais abandonados e vítimas de abusos e maus tratos. Para conhecer mais sobre o trabalho desenvolvido pela VIVA, clique aqui.

Este slideshow, é o primeiro de uma série de vários que tencinono publicar. As fotos que dele fazem parte, pertencem aos "quartos" que estou encarregada de manter, e onde consequentemente passo mais tempo. Esses quartos são Room 5 - Enfermaria, Room 6 - Berçário, Room 7 - Secção dos Adolescentes.

 

Hoje sinto-me: Protectora e Protegida
Catálogo de vôos: , , ,
Sexta-feira, 29 de Maio de 2009

Thank God is Friday!

(foto retirada da net)

 

Hoje sinto-me: ExaustaaaaazzzZZzzzzZzzz
Catálogo de vôos: ,
Palavra de Joanina às 04:04

link do post | bote palavra | ver palavra botada (5) | favorito
Quinta-feira, 7 de Maio de 2009

Só pode ser sina...

Por um conjunto de circunstâncias que agora não vos vou maçar a enumerar, as minhas Quartas-feiras no trabalho são sempre uns dias difíceis... Alias, são o único dia em que não posso dizer que gosto do que faço, a 100%. São por norma dias em que para além de eu ficar fisicamente esgotada, (que isso fico todos os dias), também fico um bocado "gastinha" do meu juízo. E como por coincidência, ou não, são também o dia, de entre todos os outros dias, em que os gatos estão endiabrados, e o dia em que me dão mais trabalho... Vomitam, fazem as suas necessidades fisiológicas fora do caixote (digo assim que é para não dizer as duas palavras que me apetece dizer, e que uma começa por um C e a outra por um M), deixam pêlos e pegadas no chão que acabei de lavar, perseguem a vassoura enquanto eu varro... Enfim... 

Ontem foi Quarta-feira, e o dia, para variar, não fugiu ao habitual... Quando me vi de lá para fora, até me parecia mentira!!!... Soube-me tão bem, mas tão bem mesmo, meter a chave à porta da minha casa e pensar que finalmente ía ter paz e descanso!... Mas durou pouco tempo este meu bem-estar anunciado pois logo a entrada, recebe-me o Martim com um miado lancinante de agonia... E abrindo a boca, qual cena do filme O Exorcista, deixa sair um jacto de vomito amarelo pastoso, que vai aterrar em cheio em cima da carpete de sala... E depois mais um... E mais um... E mais outro!!!... E eu, exausta mas resignada, nem digo nada e (re)começo a limpar... A limpar... E a pensar... Isto só pode mesmo ser karma meu, ou sina minha.

Jo

 

Nota de Roda: Mais tarde vim a descobrir que Sua Excelência tinha andado a comer a fita do balão que utilizei para fazer a cara do Maio... Daí a razão de tamanho mal-estar e agonia.

  

Hoje sinto-me: (Mal) Fadada
Catálogo de vôos: , , ,
Palavra de Joanina às 03:23

link do post | bote palavra | ver palavra botada (9) | favorito
Quinta-feira, 23 de Abril de 2009

A sardinha que derreou o burro

É mais que certo e sabido que eu adoro o meu Martim... E também é certo que continuo a gostar muito do my new job... Mas depois de passar parte do meu dia a tratar e a alimentar cerca 150 gatos, chegar a casa e ouvir mais um gato miar, ter mais um gato a seguir-me para todo o lado e vê-lo olhar para mim insistentemente pedindo comida, é por assim dizer como que "A sardinha que derreou o burro"... Ou como eu costumo dizer ao Husband "The sardine who brought the donkey down"!... Que Deus me perdoe!... E que o Martim nunca sonhe que eu escrevi este post!!!!...

Jo

 

 

Hoje sinto-me: Derreada
Catálogo de vôos: , , ,

Joanina (sem agá), sou eu!

Dezembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Vôos recentes:

Open House

The things these people d...

Juju & Pink - An Adoption...

Para quem acompanhou a "n...

Um polidáctilo, todo na s...

Cool Hand Luke

Os meus "anjinhos" - Part...

Thank God is Friday!

Só pode ser sina...

A sardinha que derreou o ...

Vôos passados:

Dezembro 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Catálogo de vôos

todas as tags

Pesquisa:

 

Altos vôos:

SER FELIZ... APESAR DE TU...

O CULTIVO DAS ROSAS

Eternamente

Carta à minha tia Bió

Carta para a minha Mina K...

O POETA E O GATO

És isto.. E muito mais!

À «Joanina» dos Açores

Oh minhas meninas, Helloo...

Para onde vôo:

blogs SAPO